Usamos cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de navegação. Leia mais aqui.

Katrin Friedmann e Marta Pucci

Ciclo A-Z

Ovulação: o que é e como saber se estou ovulando?

por Anna Druet, Researcher; Science and Education Manager
  • Share this article on Twitter
  • Share this article on Facebook
  • Share this article with WhatsApp

*Tradução: Joana de Sousa

Coisas importantes a saber: 

  • Os seus óvulos vivem nos ovários dentro de sacos, chamados folículos 

  • Os folículos precisam das condições ideais para crescer e liberar o óvulo: o ambiente, a saúde e os comportamentos—todos eles desempenham um papel importante 

  • Para saber quando você ovula, pode acompanhar o seu ciclo monitorando o muco cervical, a temperatura basal e/ou fazer testes de ovulação 

  • A ovulação é por vezes associada a hemorragia ou a dor na ovulação.

O que é ovulação? 

A ovulação é a liberação de um óvulo de seu ovário para a trompa de Falópio. Normalmente, ocorre cerca de 13 a 15 dias antes do início de cada período (1). E tal como a sua menstruação, o momento da ovulação pode variar de ciclo para ciclo, e pode acontecer de você não ovular. 

Uma mão segurando um celular com o Clue app aberto

Monitore seu muco cervical regularmente no Clue app

Compreender os conceitos básicos de como funciona a ovulação pode ser uma poderosa ajuda para a sua saúde.

É comum que as pessoas sejam introduzidas a este tema somente depois de terem dificuldades para engravidar. Mas entender a ovulação pode te ajudar a saber sobre muito mais do que apenas fertilidade. Você entenderá melhor quais alterações em seu corpo são influenciadas pelos seus hormônios nessa parte do ciclo menstrual, e também aprenderá quais os fatores que podem afetar o ritmo de sua ovulação (como o estresse) e por que razão. 

Atualmente, no Ocidente, ovulamos cerca de 400 vezes durante toda a nossa vida (2). Este número é influenciado pelo uso de contraceptivos (muitos dos quais bloqueiam a ovulação), pelo tempo de gestação e amamentação ou por quaisquer comportamentos ou condição de saúde que afetem os hormônios reprodutivos (por exemplo: os transtornos alimentares, síndrome de ovários policísticos (SOP). Em tempos pré-históricos, as mulheres teriam ovulado menos de metade dessas vezes (3). 

Muita coisa acontece em cada a ovulação. E se as condições não estiverem reunidas, ela não acontece. 

O desenvolvimento e a liberação de um óvulo em cada ciclo são a resposta aos complicados altos e baixos de seus hormônios reprodutivos. A ovulação (assim como todo o ciclo menstrual) é afetada por fatores energéticos, nutricionais, emocionais e socioeconómicos. 

Fatores de curto prazo, como o jet lag, as mudanças de estacão, o estresse ou o tabagismo podem ter impacto, bem como fatores a longo prazo como o SOP e ou transtornos da tiróide (4-8). 

Como funciona a ovulação: o básico 

Os pequenos óvulos se desenvolvem em sacos chamados de folículos dentro de seus ovários. Os folículos se desenvolvem por vários meses antes de estarem prontos para liberar o óvulo (aproximadamente >175 dias ou >~ 6 ciclos) (9, 10). Em qualquer momento, existem folículos em vários estágios de desenvolvimento em seus ovários (10). 

Os primeiros cientistas confundiram o folículo com o próprio óvulo.

Os folículos sofrem mudanças incríveis que levam à ovulação, desenvolvendo várias partes e camadas, cada uma com suas próprias características e funções. A maioria dos folículos, no entanto, nunca atingirá a ovulação, morrendo em diferentes fases de desenvolvimento ou pré-desenvolvimento. 

No início de cada ciclo menstrual, alguns folículos em desenvolvimento (~10) são considerados candidatos à ovulação desse ciclo (11). Mas na metado da fase folicular, um folículo se torna dominante. 

Assim como uma superestrela do esporte sendo selecionada do grupo, todos os recursos seguem para preparar o folículo dominante, e os outros acabam se decompondo.

Quando o folículo está pronto, libera o seu óvulo. O óvulo sai do ovário e é absorvido pela trompa de Falópio (os dois não estão realmente ligados - pense no final da trompa de Falópio como que recolhendo o óvulo da cavidade abdominal). Após a sua liberação, o óvulo tem cerca de 12 a 24 horas para ser fertilizado pelo esperma dentro da trompa de Falópio. Se o óvulo não for fertilizado dentro dessa pequena janela, ele começará a se degradar. Se for fertilizado, viaja até o útero ao longo dos próximos 6 a 12 dias, para possivelmente se implantar dando origem a uma gravidez (12, 13). 

Todos esses eventos são impulsionados pelas alterações cíclicas em seus hormônios reprodutivos. Os seus hormônios controlam a seleção e o desenvolvimento dos seus folículos, a liberação de cada óvulo e a preparação de seu útero para a implantação. 

Esta primeira parte do ciclo é chamada fase folicular (agora você sabe de onde vem o nome). 

Uma pequena história: O seu cérebro, os hormônios e a ovulação 

A conexão entre o seu cérebro e os ovários, que controla o desenvolvimento folicular e a ovulação, é chamada de Eixo Hipotalâmico-Hipofisário, ou de Eixo HPO. 

Antes da ovulação 

Durante todo o ciclo, o seu cérebro produz rajadas contínuas de Hormônio Estimulante Folicular (FSH). O FSH faz exatamente o que diz o seu nome - ele estimula os folículos para que se desenvolvam (2). Conforme os folículos crescem, eles produzem estrogênio

Quando um folículo dominante é selecionado e cresce (entre o dia 6 e o 9 do ciclo), os níveis de estrogênio começam a aumentar (10). 

Um folículo torna-se dominante quando alcança os 10 mm de diâmetro e normalmente cresce até aos 2cms (até um máximo de 3,3 cm) (14–17). Isso é aproximadamente o tamanho de uma uva ou uma avelã com casca. 

Pronto para ser liberado

Quando a quantidade de estrogênio atinge o seu máximo, o óvulo está pronto para ser liberado. O cérebro produz então um pico de hormônio luteinizante (LH) desencadeando a ovulação. A liberação do óvulo do folículo, ocorre cerca de 24 horas depois (10 a 12 horas após o pico de LH) (13, 17). O folículo utiliza enzimas para degradar a sua própria parede e formar uma abertura, permitindo que o óvulo saia do seu interior (18). 

No final da trompa de Falópio, uma estrutura semelhante aos dedos incha com sangue para conduzir o óvulo para o interior da trompa. Enquanto isso, o óvulo está passando por suas próprias mudanças para se preparar para uma possível fertilização. 

O folículo pré-ovulatório é a principal fonte de estrogênio no seu corpo. O folículo dominante é a fonte de > 90% da produção de estrogênio no período pré-ovulatório (19).

O estrogênio começa com níveis baixos e começa a aumentar na metade da fase folicular. 

Depois da ovulação 

O óvulo pode estar a caminho, mas o trabalho do folículo está longe de estar terminado. O hormônio luteinizante transforma o grande folículo produtor de estrogênio em uma máquina de fazer progesterona (10). 

Esse novo produtor de progesterona (que também produz estrogênio) é chamado de corpo lúteo, ou “corpo amarelo” em latim (pela cor amarelada). Em cada ciclo em que ocorre a ovulação se desenvolve um novo corpo lúteo. Se a ovulação não acontecer, você não terá esse pico de progesterona. 

Se o óvulo não for fertilizado por um espermatozóide e depois implantado no revestimento uterino (depois de viajar pelas trompas de Falópio, o que leva vários dias), o corpo lúteo começa a se degradar e os níveis hormonais caem, desencadeando o seu período menstrual (20). Se ocorrer uma gravidez, o corpo lúteo fornece progesterona suficiente para a gravidez se desenvolver, até que a placenta possa assumir o controle (21). 

Logo após a ovulação os níveis de estrogênio caem levemente e, então, a progesterona (e o estrogênio) começam a subir. Se não houver sinal hormonal de uma gravidez, eles começam a cair novamente no meio da fase lútea, eventualmente desencadeando a menstruação. 

A sua ovulação não é um relógio 

Quaisquer fatores que influenciam a pulsação hormonal em seu cérebro poderão influenciar a sua ovulação. Fatores ambientais ou internos como o estresse, a dieta ou mudanças nos exercícios físicos podem levar a sua ovulação a acontecer um pouco mais cedo ou mais tarde, ou mesmo a não acontecer. Seu período poderá vir mais cedo ou mais tarde, e ser mais leve ou mais intenso. 

Sua fase folicular é considerada “plástica” (flexível) quando comparada à sua fase lútea. 

Isso significa que a duração da fase folicular pode mudar, de ciclo para ciclo. Se você sabe a duração típica da sua fase lútea (na maioria das vezes de 13 a 15 dias), pode contar para trás para ter uma ideia de quando ovulou. Alterações na duração do seu ciclo são geralmente identificadas na fase folicular (o tempo que leva um folículo para atingir o ponto de ovulação). 

É normal não ovular regularmente quando você começa a menstruar. E é também comum ter a ovulação irregular após a gravidez, durante a amamentação e nos anos que antecedem a menopausa. 

Por que isso é importante 

Não ovular de vez em quando não é necessariamente causa de preocupação, mas se acontecer regularmente, ou se você parar de ovular completamente (e não estiver tomando hormônios para não ovular), isso poderá dar origem a sérios problemas de saúde. 

Todo o processo da ovulação fornece ao seu corpo os necessários níveis de estrogênio e progesterona - hormônios que desempenham um papel muito importante que vai muito além da fertilidade. Eles afetam a sua densidade óssea, a saúde do seu coração, o metabolismo, a qualidade do sono, a saúde mental e muito mais. É muito importante ter os níveis suficientes destes hormônios. 

A anovulação (ausência de ovulação) nos anos férteis está associada à osteoporose, a doenças cardiovasculares e certos tipos de câncer em idade mais avançada (22-25). Por exemplo, os atletas com disfunções menstruais são significativamente mais propensos a sofrer de fraturas de esforço (26). 

Como sei se estou ovulando? 

Quando na vida adulta, provavelmente, você estará ovulando na maior parte do tempo se seu ciclo estiver dentro de um intervalo médio (isto é, de 24 a 38 dias para pessoas adultas, com uma variância inferior a 7-9 dias de ciclo para ciclo e um período menstrual que dura de 2 a 7 dias) (27). Os ciclos que estão constantemente fora desses intervalos (sejam longos, curtos ou muito irregulares) podem ser um indicador de anovulação e um motivo sério para conversar com um(a) médico(a). 

Para saber se você está ovulando (e quando isso acontece no seu ciclo), você pode tentar: 

  • Acompanhar a duração e a regularidade do seu ciclo no Clue

  • Usar testes de ovulação (de urina), comprados na sua farmácia

  • Rastrear os seus sinais físicos de fertilidade (por alguns ciclos), incluindo a sua temperatura basal e o muco cervical

  • Pedir que seu(ua) médico(a) verifique o seu perfil hormonal, testando uma amostra de seu sangue retirada no meio de sua fase lútea

Quando fazer um teste de ovulação? 

Você pode testar a qualquer hora do dia, mas é melhor fazê-lo sempre na mesma hora todos os dias. 

Os kits de teste de ovulação recomendam escolher uma ocasião em que você não tenha urinado por 4 horas, ou não tenha ingerido uma grande quantidade de líquidos. Os níveis de Hormônio Luteinizante (LH) sobem geralmente de manhã, entre as 4 e as 8 da manhã (29). Se você testar antes de ele subir pela primeira vez, poderá acontecer de obter um resultado negativo naquele dia, mas ainda assim, deverá obter um resultado positivo no dia seguinte. Se você estiver tentando detectar o primeiro pico de LH ou se estiver com dificuldades para obter um resultado positivo, teste em diferentes momentos ao longo do dia e veja o que funciona melhor para o seu corpo. 

Artigo publicado originalmente em 23 de novembro de 2017.

Você também pode gostar de ler: