Usamos cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de navegação. Leia mais aqui.

Arte: Marta Pucci

Sexo

ISTs: dúvidas e perguntas frequentes

por Jen Bell, Writer
  • Share this article on Twitter
  • Share this article on Facebook
  • Share this article with WhatsApp

*Tradução: Sarah Luisa Santos e Jade Augusto Gola

Nota: em 2016 no Brasil foi alterada a designação costumeira de DST (Doença sexualmente transmissível) para IST (Infecção sexualmente transmissível), seguindo protocolo da Organização Mundial de Saúde.

Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) são comuns, mas a maioria de nós não aprende sobre elas na escola. Nos Estados Unidos, as taxas de IST continuam crescendo, com uma estimativa de 20 milhões de novos casos de ISTs a cada ano, e metade dos casos é entre pessoas jovens (1). Mas, elas não são as únicas afetadas: um estudo no Reino Unido mostrou que ISTs em pessoas com mais de 45 anos dobrou entre 1996 e 2003 (2).

Posso pegar IST de um assento sanitário? Posso pegar na primeira vez que transa? A pílula protege contra ISTs?

Continue lendo para se informar e aprender como proteger você e as pessoas com quem você transa.

Quem pega IST?

É verdade que só as pessoas com muitos parceiros sexuais pegam IST?

Não. Não importa se você fez sexo uma vez ou 100 vezes. ISTs podem ser passadas através de sexo sem proteção (sem camisinha) por vias anais, vaginais, orais, contato genital e compartilhamento de brinquedos sexuais.

Apenas homens gays pegam HIV?

Não. O vírus da imunodeficiência humana (HIV) pode ser transmitido de diversas formas, incluindo sexo. Não importa qual orientação sexual ou gênero que você tenha – qualquer pessoa que seja sexualmente ativa corre o risco de contrair HIV. Estudos mostram que homens que fazem sexo com homens são desproporcionalmente afetados pelo HIV, mas o vírus pode também ser passado através de sexo heterossexual, e (raramente) através de sexo lésbico (3,4).

Eu sou lésbica. Eu posso pegar uma IST?

Sim. Se você faz sexo com qualquer pessoa, não importa o gênero ou os genitais, existe uma chance de se passar uma IST.

Se você tocar nos genitais da pessoa parceira, ou elas tocarem os seus, existem um risco de transmitir IST (como HPV, verrugas genitais, clamídia, vírus da herpes simplex (HSV) 1 e/ou 2, sífilis). O risco de infeção aumenta quando vários dedos ou uma mão inteira estão dentro da vagina ou do ânus (prática chamada de fisting), já que isso pode causar pequenas rachaduras ou trauma, o que pode aumentar a transmissão de IST (5). Para prevenir a transmissão de IST, luvas de nitrilo ou látex podem ser utilizadas.

Também existe um maior risco de infeção se alguém colocar os dedos na boca ou na boca do parceiro depois de tocar seus genitais ou ânus, ou se tiver algum sexo oral envolvido (colocar na boca os genitais do parceiro ou o ânus). Para uma prática mais segura de cunilíngua (sexo oral na vulva), você pode utilizar dam dental ou cortar uma camisinha. Se você compartilhar brinquedos sexuais, cobri-los com uma camisinha é uma boa forma de prevenir o desenvolvimento de vaginite bacteriana ou transmissão de ISTs. Lembre-se de trocar a camisinha cada vez que você trocar de parceiro, ou quando mudar do uso anal para o vaginal.

[Mais informações aqui: Aprenda a se prevenir de ISTs no sexo lésbico]

Como ISTs são transmitidas

Você pode pegar IST com sexo oral?

Sim. Doenças sexualmente transmissíveis, incluindo HIV, sífilis, herpes, gonorreia, HPV, tricomoníase e clamídia podem ser passadas durante o sexo oral (6). As infeções podem ser passadas da boca para os genitais, ou vice-versa. Para se proteger na hora de dar ou receber sexo oral na vulva (cunilíngua) ou ânus (anilingus), use um dam dental ou uma camisinha cortada na direção do comprimento. Para o sexo oral no pênis ser seguro, cubra-o com uma camisinha.

Eu preciso usar uma camisinha para o sexo anal?

Sim, se você quiser evitar ISTs. Um estudo nos EUA descobriu que quando as camisinhas eram usadas para o sexo anal com um parceiro HIV-positivo, elas tinham 70% de eficiência em prevenir a transmissão do vírus (7). Usar lubrificante à base de água ou silicone também pode tornar o sexo anal mais seguro, por diminuir as chances da camisinha estourar. Fazer sexo anal com lubrificantes, ou usando saliva ou lubrificantes à base de óleos, aumenta as chances de a camisinha estourar (8).

Eu preciso usar camisinha quando estiver no ciclo menstrual? Sim, se você quiser evitar ISTs e gravidez. É possível ficar grávida durante o ciclo menstrual, embora o risco especifico do dia é variável e depende do seu ciclo, idade e saúde.

Um estudo do Clue app de 2018 com o time de pesquisa de uso de camisinha do Instituto Kinsey descobriu que as camisinhas são menos usadas (15% a menos) durante a menstruação. É importante usar camisinha ou algum método de barreira durante o sexo no ciclo menstrual porque muitas ISTs (como HIV e hepatite B e C) podem ser transmitidas através do sangue. Usar uma camisinha durante o sexo com menstruação pode prevenir a gravidez e prevenir contra a transmissão de ISTs.

Você pode pegar herpes do assento sanitário?

Não. O vírus da herpes simplex (HSV) é passado por contato direto das membranas mucosas (os tecidos delicados localizados nos seus genitais e boca) com feridas de herpes, saliva, ou secreções genitais de uma pessoa com uma infecção de herpes. A transmissão de herpes geralmente ocorre durante o beijo, sexo oral, anal ou sexo vaginal. As pessoas passam herpes mais provavelmente quando elas têm feridas e bolhas no seu corpo, mas ela também pode ser passada quando a pessoa não tem os sintomas. Isso porque a herpes pode estar presente no corpo sem causar sintomas.

A transmissão de herpes pode ser reduzida usando camisinha, evitando sexo oral, anal ou sexo vaginal se existem algumas feridas na área genital ou ao redor da boca (9). Não existe risco de contaminação depois da exposição a superfícies como maçanetas de porta, assentos sanitários, utensílios, copos, batons, toalhas ou lençóis.

Você pode pegar HIV com uma tatuagem ou piercing?

Sim. Pode haver um risco de contração do HIV ou outra infecção sanguínea (como hepatite B ou C) se os instrumentos usados para o piercing ou a tatuagem não são esterilizados ou desinfetados entre um cliente e outro. Qualquer instrumento usado para furar ou cortar a pele deve ser usado uma vez e depois descartado de forma segura. Se você está pensando em fazer uma tatuagem ou um piercing, pergunte a equipe do lugar para mostrar as precauções tomadas. Se você tiver dúvidas sobre limpeza do local, procure outro.

Eu posso pegar HIV com uma picada de mosquito?

Não. De acordo com o Centro para Controle e Prevenção de Doenças, HIV não é transmissível por mosquito ou qualquer outro inseto (10).

Como eu posso me proteger de ISTs?

A pílula protege de ISTs?

Não. A pílula não protege você ou seu parceiro de uma IST. As camisinhas femininas e masculinas são as únicas formas contraceptivas que podem ajudar na hora de prevenir ou passar uma IST quando você faz sexo vaginal ou anal. Você também pode usar o dam dental para se proteger se fizer sexo oral. Se você se esquecer de tomar a pílula ou vomitar por alguma razão (ex. doença), a eficiência da pílula é mais baixa e você pode engravidar. Se você seguir o calendário no app Clue para tomar a pílula, o app vai avisar o que fazer se você esquecer de tomar um dia, incluindo se você precisa usar uma proteção extra – como uma camisinha.

Estou em um relacionamento monogâmico. Tenho proteção contra IST?

Não. Uma relação monogâmica não vai automaticamente proteger contra ISTs (ou gravidez). Qualquer pessoa pode pegar doenças sexualmente transmissíveis, às vezes sem ter sintomas. Embora algumas ISTs produzam fluidos ou outros sinais visíveis, não é sempre possível saber só de olhar para uma pessoa que ela tem IST. Para se prevenir, antes de ter relações sexuais faça exames você e seu parceiro ou parceira, e pratique sexo seguro sempre usando camisinha, dam dental ou luvas.

__As camisinhas previnem contra todas as ISTs?

Depende. Elas são mais eficientes contra ISTs que são transmitidas através de fluídos corporais. __

O uso correto e consistente de camisinhas ou camisinhas internas é associado a uma redução significativa de contração transmissão de ISTs (11-15). Se você fizer sexo pênis-vagina com uma camisinha, suas chances de pegar HIV são 80% menores, comparadas ao sexo sem camisinha.

Algumas ISTs como herpes, HPV ou úlcera genital como sífilis e cancro são contagiosas através do contato com a pele. Se a camisinha não cobre a área de contato, então ela não pode proteger contra essas doenças. No entanto, se as infecções estão em áreas limitadas onde a camisinha cobre, o risco de contágio vai ser reduzido (17).

Eu posso prevenir gravidez e ISTs se eu lavar meus genitais logo depois do sexo?

Não. Muitas pessoas acreditam que usar a ducha (esguichar na vagina água, sabonete ou antissépticos) é uma boa higiene e que previne doenças ou gravidez. Quase metade das mulheres pesquisadas em um estudo de 2008-2010 fizeram a ducha no último mês (18).

No entanto, a ducha não previne gravidez e pode criar um maior risco de contrair ISTs (19,20). A ducha altera a flora vaginal e aumenta a probabilidade de desenvolver vaginite bacteriana. A ducha também é associada com gravidez ectópica, baixo peso de nascimento, parto prematuro e aumenta o risco de câncer cervical, inflamação pélvica e endometriose (19).

Existem maneiras de ser sexual que não envolvam ISTs?

Sim. Existem diversas maneiras que você pode ser sexual e estar em segurança. Masturbação individual, dar uns amassos com roupas (esfregar os genitais estando com roupa), sexy talk, massagem (sem tocar nos genitais) e abraços são algumas das coisas que você pode fazer e que não passam ISTs.

Sintomas de IST, testes e tratamento

Como eu posso saber se tenho uma IST?

Faça um exame! Geralmente, ISTs não têm sintomas óbvios. Isso significa que não é possível dizer se alguém tem ou não IST, e geralmente a pessoa com IST não sabe que a tem – mas ela ainda pode passar a infecção para alguém. A única forma de saber é fazendo o exame. Por isso é importante fazer sexo seguro, se você quer evitar passar uma IST.

Se eu tenho uma coceira estranha, dor ou fluídos, isso significa que eu tenho IST?

Talvez. Muitas vezes, as ISTs causam sim problemas que você vai notar. Mas, esses sintomas não significam sempre que você tenha uma IST, eles podem indicar outro problema de saúde como uma infecção por fungos.

Se você tem esses sintomas nos seus genitais e ao redor deles, ânus ou boca, procure uma assistência médica:

  • Dor
  • Inchaço
  • Feridas, bolhas ou coceiras
  • Coceiras e/ou queimação
  • Dor ou queimação quando você urina
  • Fluidos vaginais que são diferentes na cor, cheiro ou textura
  • Sangramento dos genitais (que não seja menstruação)

Dói fazer exames de IST?

Não. Exames de várias ISTs são rápidos e fáceis como dar uma amostra de urina, enquanto outros podem envolver tirar sangue. Sua assistência médica pode também examinar visualmente para ver os primeiros sinais de infecção ou usar um cotonete (pequeno bastonete de algodão) nos seus genitais ou boca. Em alguns lugares existem kits de exames, para você fazer em casa. Procure um serviço que ofereça apoio e tratamento no caso de você precisar depois dos exames.

As ISTs vão embora sozinhas?

Geralmente não. É muito improvável que uma IST vá embora sozinha, e se você demorar para procurar tratamento existe um risco que a infecção possa causar problemas a longo prazo. Mesmo se você não tiver nenhum sintoma, ainda existe o risco de passar a infecção para os parceiros.

Se você acha que possa ter uma IST, procure assistência médica e faça exames. Se a IST ficar sem tratamento, ela pode causar danos a longo prazo na sua fertilidade e saúde, por isso é importante se testar regularmente. Clamídia e gonorreia podem ambas causar inflamação pélvica se não forem tratadas. Isso pode resultar em uma dor na pélvis a longo prazo, trompas de falópio bloqueadas, infertilidade e gravidez ectópica.

O papiloma vírus (HPV) é uma IST bem comum que geralmente é transmitida durante a relação sexual. A maioria das infecções por HPV em dois anos ficam estáveis e não causam mais sintomas ou doenças (21,22). No entanto, esse não é sempre o caso, já que há alguns tipos de HPV que podem ter consequências a longo prazo. Dois tipos em particular, HPV 16 e HPV 18, são responsáveis por 7 dos 10 casos de câncer cervical e mudanças pré-cancerianas (23,24). Esses tipos de HPV também foram associados com câncer na área anogenital e câncer da orofaringe (tecido da garganta) (23,24). Outros tipos como HPV6 e HPV 11 são responsáveis por verrugas genitais (21).

Todas as DSTs podem ser curadas com antibióticos?

Não. Muitas ISTs podem ser curadas se diagnosticadas nos primeiros estágios da infecção, e o tratamento pode ser simples como tomar antibióticos. Mas medicamentos não podem curar todas as ISTs, portanto prevenção com sexo seguro é a melhor opção. Por exemplo, não existe cura para herpes genital. Medicamentos antivirais podem ser usados para prevenir ou conter crises de herpes, mas a doença não pode ser eliminada do seu corpo (25). Também não existe cura para o HIV, mas existem medicamentos antirretrovirais para reduzir a quantidade do vírus no sangue. Essa terapia retarda a progressão da doença e também reduz a chance de transmissão para futuros parceiros (26).

Devo ter vergonha de ISTs?

Não. ISTs são doenças como qualquer outra, como um resfriado ou gripe. ISTs são passadas através do contato sexual sem proteção com alguém que tenha a infecção. Pegar uma IST não tem nada a ver com higiene ou limpeza, e fazer um teste de IST não é um reflexo do seu comportamento – é uma escolha saudável e responsável. Faça exames regularmente, e não se esqueça de falar com parceiros e parceriras sobre sexo seguro e ISTs.

Com o Clue você acompanha mudanças em seu ciclo menstrual, como mudanças em seu apetite sexual. Baixe o app aqui.

Você também pode gostar de ler: